Cadastra-se para receber notícias
Fenasul

03/05/2005 12:00

Tamanho da fonte

Foto: Luís Ávila

Os recursos serão dirigidos para a aquisição de máquinas e animais durante a realização da feira que abriga a 28ª Expoleite.

Dirigentes do Banco do Brasil e do Banrisul anunciaram nesta terça-feira (03), em evento promovido na Esplanada da Assembléia Legislativa pela Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo, a disponibilização de R$ 15 milhões para financiar aquisições de animais, máquinas e equipamentos aos produtores que participarem da Fenasul - Feira Nacional de Agronegócios do Sul, que se realiza de 25 a 29 deste mês no Parque de Exposições de Esteio. Os recursos - R$ 9 milhões do BNDES, R$ 4 milhões do Governo Lula e R$ 2 milhões do Governo do Estado - serão operacionalizados através do Banco do Brasil - R$ 8 milhões - e do Banrisul - R$ 7 milhões.

O presidente da Comissão de Agricultura, deputado Elvino Bohn Gass (PT), abriu o evento afirmando que a realização da Fenasul "é uma prova de que é possível superar a dificuldade apostando na produção." Segundo Bohn Gass, "num período em que o Rio Grande enfrenta os efeitos de uma das piores secas da história, um evento que salienta a produção leiteira merece todo o incentivo. Porque leite significa agregação de renda para o produtor, é uma atividade que dialoga com a sustentabilidade, inclusive pelo valor alimentar deste produto", disse o deputado.
Para o Superintendente Estadual do Banco do Brasil, Valmir Pedro Rossi, serão disponibilizados R$ 4 milhões para a compra de animais e outros R$ 4 milhões para a aquisição de máquinas e equipamentos. Rossi disse que, diante do drama da seca, a instituição busca atingir três objetivos: levar tranqüilidade ao campo, equacionar o endividamento e criar condições para a manutenção da renda dos produtores. Já o gerente da Unidade de Negócios Rurais do Banrisul, Luiz Fernando Nunes, anunciou R$ 5 milhões (pelo BNDES) para a aquisição de máquinas e outros R$ 2 milhões para a compra de animais. Nunes disse que os produtores interessados em obter o financiamento devem procurar as agências do Banrisul para pré-aprovarem seus créditos como forma de facilitar a negociação.

José Ernesto Ferreira, presidente da Fenasul, salientou a importância do carro-chefe da feira que é a Expoleite (que este ano chega à 28ª edição), mas ressaltou que o evento deste ano está sendo ampliado para, de um modo mais direcionado, oportunizar negócios com todos os setores da produção agropecuária gaúcha. A Fenasul deste ano reunirá, além da Expoleite, a 1ª Expo Rio Grande do Sul, a 5ª Expoutono, a 3ª Feira da Agricultura Familiar, a 2ª Feira do Município de Esteio/RS, a 5ª Expocoop, a 3ª Feira de Terneiros e a uma Exposição de Eqüinos. "Contamos aqui com os bancos que trabalham sério e acreditam na vocação agropecuária do nosso Estado, o Banrisul e o Banco do Brasil. E as taxas de juros oferecidas, de 8,75% ao ano, embora ainda não ideais, são compatíveis com o mercado", disse Ferreira.

O evento foi encerrado pelo Secretário Estadual da Agricultura, Odacir Klein que, na mesma linha de Bohn Gass, chamou a atenção para o fato de a Fenasul estar "alimentando o ânimo e a capacidade de reação do setor agropecuário gaúcho, mesmo diante de uma estiagem cujas conseqüências são imensuráveis." Para exemplificar, Klein citou a reivindicação de alguns municípios onde prepondera o agronegócio e que estão pleiteando uma revisão de critérios da distribuição do ICMS porque, com a seca, serão prejudicados na divisão do bolo de impostos do Estado. "É preciso ter esperança com persistência", finalizou o secretário.
Duas vacas, uma holandesa de nome Gilda Durhan e outra jersey de nome Crissy Traider, foram trazidas à cerimônia pelo proprietário Ricardo Biesdorf. A idéia de trazê-las foi uma forma de evidenciar e homenagear o setor leiteiro, o mais importante desta primeira Fenasul.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter