Cadastra-se para receber notícias
Santo Cristo

15/06/2005 12:00

Tamanho da fonte

"Agora, não resta qualquer dúvida. Houve compra de votos para a eleição de Canísio e Mattiazzi em 2000. Quem está dizendo isso não é o PT, é a instância máxima da justiça eleitoral brasileira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Infelizmente, neste caso, a justiça se fez, mas foi tardia." A afirmação é do deputado Elvino Bohn Gass (PT) e foi feita após ele ter recebido cópia da decisão do TSE sobre um recurso do prefeito Canísio àquele tribunal.

Sob acusação de ter comprado votos na eleição, Canísio foi condenado pela Justiça local que cassou o seu mandato e de seu vice e ainda os declarou inelegíveis por três anos.

Inconformados, prefeito e vice recorreram ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Os desembargadores gaúchos confirmaram a sentença inicial e ainda multaram Canísio e Mattiazzi em R$ 5.320,50, mantendo a condenação dos dois.

Sem alternativa, Canísio e Mattiazzi recorreram novamente, desta vez ao Tribunal Superior Eleitoral. No último dia 13 de junho, veio a decisão do TSE que manteve a pena de multa, ou seja, os ministros não tiveram dúvidas sobre o que aconteceu em Santo Cristo naquele ano de 2000. Eles só não mantiveram a cassação de Canísio e Mattiazzi porque os mandatos que estavam em discussão no processo (aqueles iniciados em 2001), já estão extintos. E também só não mantiveram a inelegibilidade porque ela era de três anos e este prazo já expirou. A multa, contudo, foi mantida porque os ministros não tiveram dúvidas de que houve, efetivamente, a compra de votos.

"A decisão superior, embora, infelizmente, tenha chegado tarde demais, precisa ser vista pela população de Santo Cristo como uma prova de que ao denunciar Canísio e Mattiazzi, o PT e os partidos que compuseram a Frente Popular naquela eleição, estavam certos. Nós os acusamos de comprar votos e todos os tribunais confirmaram que isso aconteceu. Em eleição, lamentavelmente, não há vencedores morais. Se houvesse, estes certamente não seriam nem o Canísio, nem o Mattiazzi," desabafa Bohn Gass.

Para o presidente do PT de Santo Cristo, José Luís Seger, a Justiça comprovou mais uma vez que houve compra de votos e abuso de poder econômico na eleição da qual Canísio Ost saiu vencedor. "Lamenta-se, porém, que a cassação do prefeito não tenha acontecido em virtude da morosidade da tramitação do processo, que se refere ao anterior e não atual mandato de Canísio," diz Seger. O PT, conforme seu presidente, está consultando assessoria jurídica para informar-se das providências possíveis em relação a este caso. "Afinal, em função destas irregularidades que mais uma vez estão sendo reconhecidas pela Justiça, o Partido sofreu sérios danos morais," completa o presidente. Já o então candidato do PT naquela eleição, Rubem Wiest, diz que "quem perdeu foi Santo Cristo que agora tem um prefeito que todas as instâncias judiciais condenaram. É de envergonhar," resumiu Wiest.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter