Cadastra-se para receber notícias
Expointer

29/08/2005 12:00

Tamanho da fonte

Presente à inauguração do pavilhão permanente da agricultura familiar na Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer), o presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo do Legislativo, deputado Elvino Bohn Gass (PT) comemorou o que considera "uma grande conquista para o setor". A solenidade aconteceu no último domingo (28), às 10h30 da manhã, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio e contou com a participação do ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA) Miguel Rossetto.

Para Bohn Gass, a construção do estabelecimento consolida a participação da agricultura familiar na feira . "O Governo Lula já demonstrava atenção especial ao setor em edições anteriores da Expointer, quando disponibilizava acomodações para que os pequenos agricultores pudessem expor o seu trabalho. Agora, a construção de um local definitivo para agricultura familiar é o reconhecimento definitivo da importância do setor para a economia do Estado", declarou o petista.

Segundo o parlamentar, o MDA investiu cerca de R$ 1 milhão para construir o pavilhão, que tem 4.200 metros quadrados de área com 44 módulos destinados à exposição e comercialização de produtos , espaços institucionais, cozinhas, espaço para escolas rurais, auditório com capacidade para 100 pessoas, além de espaço cultural com tablado para as apresentações artísticas. "Há também um armazém decorado em estilo colonial, onde estarão expostos produtos à disposição no estande e serão oferecidos à degustação dos visitantes da feira", contou o deputado.

Neste ano, a Feira conta com 203 agroindústrias, que trarão ampla variedade de produtos como queijos, iogurtes, pães, cucas, doces, sucos, geléias, mel, derivados da cana de açúcar, entre outros. " Ao construir um espaço específico para a agricultura familiar na feira, o Governo Lula consolida o setor como gerador não só de sobrevivência, mas de renda e corrige uma distorção antiga. Um setor que responde por quase 30% do PIB gaúcho não poderia continuar relegado a segundo plano, como aconteceu em governos anteriores", finalizou Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter