Cadastra-se para receber notícias
Educação sob risco

09/08/2007 12:00

Tamanho da fonte

Recebi de Aládio Kotowski, diretor do 10º Núcleo do CPERS/Sindicato, um breve relato sobre o protesto que professores, funcionários de escola, pais, alunos e a comunidade da região realizaram hoje, em frente à 17ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE) de Santa Rosa. Segundo Aládio, cerca de 2.000 pessoas (foto aí ao lado) protestaram contra a enturmação, uma medida decretada pela secretária estadual da Educação, Mariza Abreu que implica na diminuição do número de turmas, ou seja, uma medida que vai entulhar alunos numa mesma sala. O argumento é de que o Estado precisa dispensar professores não concursados que pesam na folha de pagamento. Deve ser isso que a governadora chama de fazer mais com menos. Ou seja, Yeda quer gastar menos com a educação porque no seu modo de entender, a educação não é investimento, mas custo.
Mas voltando ao ato de Santa Rosa... O clima, por lá, ficou pesado quando representantes da Coordenadoria afirmaram que os estudantes nem sabiam o que estavam fazendo no ato. De minha parte, repudio a enturmação porque ela precariza a qualidade do ensino estadual. E sugiro que a governadora repreenda os membros da coordenadoria de Santa Rosa que demonstraram completo desrespeito por aqueles que, em última análise, são a razão de ser de toda aquela estrutura, os estudantes.

O dia foi passando e fui recebendo novas informações sobre a reação da comunidade escolar em todo o Estado. Quero me somar a todas as manifestações.

No meio da tarde, em frente ao Piratini, pude sentir a revolta de alunos e professores de Porto Alegre. Eles gritavam: ÔÔ YEDA, QUE PAPELÃO! TURMA LOTADA SÓ PIORA A EDUCAÇÃO. Concordo com eles.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter