Cadastra-se para receber notícias
Assembléia

22/02/2008 12:00

Tamanho da fonte

O deputado Elvino Bohn Gass (PT), manifestou estranhamento com as declarações do chefe da Casa Civil, Cesar Busatto, sobre os encaminhamentos da CPI criada para investigar o desvio de R$ 40 milhões do Detran. Não entendi a manifestação do secretário Busatto. Não fica bem para quem quer criar um clima de acordo, tentar interferir em encaminhamentos que são próprios do Legislativo. O regimento interno da Assembléia deixa claro que o ordenamento dos trabalhos da Comissão é do presidente, frisou. Busatto declarou à imprensa que a cronologia na investigação fez parte de acordo para instalar a CPI do Detran na Assembléia.

Para Bohn Gass, o Executivo não deve se meter na investigação, que é uma atribuição constitucional dos parlamentares. Temos autonomia para investigar. Pressões do Executivo para que seja feito de um ou de outro modo só reforçará a tese de que o governo tem interesses em proteger alguém. A CPI foi instalada para investigar as responsabilidades políticas dos desvios de recursos do Detran. O resto é firula de quem não quer investigar, afirmou.

O deputado petista disse, ainda, que a tentativa de adiar os depoimentos dos envolvidos na fraude descoberta pela Operação Rodin é uma estratégia que deixa explícito a vontade de esfriar o trabalho da CPI e confundir a opinião pública gaúcha. Os deputados governistas já manobraram para evitar que a CPI fosse instalada logo que a fraude foi descoberta. Agora tentam adiar os depoimentos dos indiciados por desvio de recursos do Detran. O que querem afinal? Tapar o sol com peneira? A sociedade não vai aceitar isso, concluiu.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter