Cadastra-se para receber notícias
CPI do Detran

13/03/2008 12:00

Tamanho da fonte

Na segunda-feira, a partir das 14h, vamos ouvir, na CPI, o depoimento de Carlos Ubiratan dos Santos, presidente do Detran no governo Rigotto e um dos indiciados pela Polícia Federal no caso da fraude que lesou os cofres públicos em, pelo menos, R$ 40 milhões. Bira, como é conhecido entre os amigos, é casado com a senhora Patrícia Bado dos Santos, que também foi presa e indiciada pela PF porque era sócia de empresas que estão envolvidas na fraude.
A escolha de Bira para o Detran deu-se por ele ser uma figura importante do PP gaúcho e foi uma decisão pessoal do então secretário de Justiça e Segurança, hoje deputado federal, José Otávio Germano.

"Minha pessoa será representada pelo Bira" - No dia 2 de janeiro, quando Bira tomou posse, José Otávio fez um discurso entusiasmado: "Foi minha primeira escolha. Minha pessoa será representada pelo Bira", disse o secretário acrescentando que a opção pelo nome de Carlos Ubiratan para a presidência do Detran não se devia ao fato de ambos manterem uma amizade de longa data mas pela importância que ele queria dar à autarquia. Como se vê, José Otávio botava a mão no fogo pelo seu amigo íntimo que agora está indiciado. Será por isso que o site Vide Versus publicou esta semana que a Polícia Federal vai solicitar ao Supremo Tribunal Federal autorização para investigar também o deputado? Seja como for, finalmente a CPI começa, de fato, a atacar o foco, a razão principal de sua instalação, a Fraude no Detran. Até segunda.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter