Cadastra-se para receber notícias
Fazenda

25/08/2009 12:00

Tamanho da fonte

"No mesmo dia em que o Congresso Nacional está votando o projeto do governo Lula que cria a Universidade Federal Fronteira Sul (UFFS), no Rio Grande do Sul acontece uma audiência pública cujo objetivo é não deixar morrer a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS)". A contraposição foi destacada pelo deputado Elvino Bohn Gass. Ele baseia-se em números oficiais:" No seu orçamento, que era para ser realista, o governo Yeda previu um total de 37 milhões de reais para as despesas de pessoal e investimentos na UERGS em 2009, mas já passamos da metade do ano e nem 20% deste valor foi efetivamente investido", compara. " O novo jeito de governar está matando a UERGS", denuncia o íder da bancada do PT na Assembleia Legislativa.

A Universidade Federal Fronteira Sul é a concretização de um antigo sonho dos moradores das regiões Norte e Noroeste do estado, nunca contaram com a possibilidade de cursar o terceiro grau numa universidade federal pública. Já está definido que as cidades de Cerro Largo e Erechim terão campus que devem começar a funcionar já no ano que vem. Em contrapartida, a UERGS, criada pelo governo Olívio Dutra, vem enfrentando o fechamento de cursos e redução da estrutura administrativa nas unidades espalhadas pelo estado. "Yeda não admite publicamente que quer o fim da UERGS, mas os números da Secretaria da Fazenda não deixam dúvida de que sua política é de sucateamento: de janeiro até julho, o governo limitou-se a pagar alguns salários, mas em investimentos a universidade gastou míseros R$ 31 mil, ou seja, 1% do que estava previsto no orçamento," diz Bohn Gass.

O deputado já visitou diversas unidades da UERGS e constatou a falta de professores e o fechamento de alguns cursos que estão em fase final sem que novos vestibulares sejam abertos. "A UERGS foi uma conquista da cidadania gaúcha apontada como prioridade de muitas regiões nas assembleias do Orçamento Participativo. Eu participei dessas reuniões, defendi este projeto no Legislativo e tive a honra de acompanhar a sua criação. No que depender de mim, vou lutar até o fim para não deixar que o governo Yeda, que já matou a moral e a dignidade do Estado por estar atolado em corrupção, mate também esta conquista," finaliza Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter