Cadastra-se para receber notícias
O RIO GRANDE QUE DÁ CERTO APESAR DO ROUBO

27/08/2009 12:00

Tamanho da fonte

Os últimos dias foram pesados. A recente instalação da CPI, a responsabilidade de esclarecer o desvio de recursos públicos do Estado e a participação de integrantes do governo neste esquema tem tomado minhas energias. Em função disso, na quinta-feira (27), mudei radicalmente o foco e redirecionei-me para um tema fundamental de meu mandato que é agricultura familiar.

Como bom descendente de alemães, que só descansam no trabalho, decidi acompanhar o delegado do Ministério do Desenvolvimento Agrário no RS, Nilton Pinho de Bem, em roteiro pelo interior do RS. Pela manhã, fomos a Passo do Sobrado, na comunidade de Rincão do Sobrado. Lá, reeencontrei o companheiro Caio, da Associação de Agricultores Novo Horizonte, a quem, em nome da entidade, o MDA entregou uma agroindústria de derivados de cana de açúcar. A ocasião foi muito especial porque, além de reencontrar um antigo companheiro, pude fazê-lo numa situação muito gratificante não só do ponto de vista pessoal.

A Novo Horizonte é um dos muitos exemplos de associação de agricultores familiares que está dando certo. E isso, a partir de princípios que sempre defendemos, como a cooperação, a diversificação de culturas, a valorização da agricultura familiar, enfim. Não é a toa que este grupo conquistou recursos necessários à viabilização da agroindústria.

Fiquei bastante satisfeito também em ver que, além do esforço e da determinação dos agricultores, o trabalho cuidadoso e dedicado da Emater foi fundamental na conquista da agroindústria. Apesar do verdadeiro desmonte que a Empresa vem sofrendo por parte do governo Yeda, com a redução drástica de pessoal e de recursos, há servidores que ainda conseguem prestar serviço de qualidade à população. Ao observar isso, senti-me ainda mais entusiasmado para seguir na luta pela recuperação da Emater e pela devida valorização deste corpo funcional que desgasta-se para segurar a Empresa neste contexto de desmonte.

Aliás, cumprimento o pessoal do Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor (CAPA), que também apoiou a Novo Horizonte, em especial o engenheiro agrônomo e antigo companheiro Jaime. Aproveito para convidar todas estas entidades que prestam assistência técnica com tanto carinho, a participarem conosco, no dia 4 de setembro, do debate "O Futuro da Assistência Técnica e Extensão Rural", às 15h, no "Espaço Mais Alimento" da Expointer 2009.

Vamos discutir juntos o Projeto de Lei que institui a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural para Agricultura Familiar (PNATER) e cria o Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária (PRONATER), além das atuais políticas públicas para a extensão rural (ou a ausência destas, como ocorre no RS) e as perspectivas para o setor.

Outro fato que alegrou-me neste dia foi participar da abertura do Seminário sobre Alimentação Escolar que o Movimento de Pequenos Agricultores (MPA) promove no Centro de Formação São Francisco de Assis, em Santa Cruz do Sul. O evento dá continuidade à divulgação da recém sancionada Lei 11.947, que garante que 30% dos alimentos para alimentação escolar seja comprado diretamente da agricultura familiar. Acredito verdadeiramente que esta Legislação é oportunidade de crescimento para o setor, por isso, tenho realizado eventos similares no interior gaúcho para preparar os municípios ao atendimento da demanda da demanda das escolas. E fico muito feliz em ver o MPA tomando a iniciativa de propagar esta boa nova. Afinal, a Lei é ganho verdadeiro para a agricultura familiar, para os estudantes, que terão acesso a alimentos de qualidade.

Enfim, sinto-me otimista ao ver a agricultura familiar, eixo principal do meu mandato, desenvolvendo-se a partir de preceitos que sempre defendi e realmente acredito. Vendo o que vi, volto para POA com ainda mais garra para trabalhar pela CPI, legislar, investigar e impedir que o dinheiro público continue a escorrer pelos gargalos da corrupção, especialmente ao refletir sobre as inúmeras iniciativas que o recurso desviado poderia estar financiando interior a fora.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter