Cadastra-se para receber notícias
CARTA À MILITÂNCIA

05/09/2014 06:50

Tamanho da fonte

CARTA À MILITÂNCIA

A história e o futuro em nossas mãos

 Os partidos que subscrevem esta resolução política e que compõem a Unidade Popular pelo Rio Grande, conclamam a sua militância partidária, política e social a redobrar esforços, ao longo dos próximos 30 dias, em favor da reeleição de Dilma Rousseff presidenta da República, Tarso Genro Governador e a eleição de Olívio Dutra Senador.

O que está em questão não é a continuidade de nossos governos. O que está em jogo é o futuro do Brasil e do Rio Grande.

Ao longo dos últimos anos, demos passos firmes no sentido de melhorar a vida do povo gaúcho e brasileiro, garantir empregos e salários crescentes, ampliar a oferta e a qualidade dos serviços públicos, aprofundar a democracia, defender a soberania nacional, a integração regional e contribuir para a criação de uma nova ordem internacional.

No Rio Grande, hoje somos o estado que mais cresce no Brasil, reorganizamos a máquina pública, valorizamos os servidores com aumentos jamais vistos, renegociamos a dívida do estado e captamos enormes investimentos públicos e privados indutores do crescimento no campo e na cidade e que nos permitiram um salto nos investimentos em segurança, saúde e educação.

Cada passo dado neste sentido sofreu uma dura oposição por parte daqueles setores sociais e políticos que preferem o estado e o país profundamente desiguais e submissos às grandes potências, onde a democracia seja limitada pelo poder do dinheiro e pelo oligopólio da comunicação.

Aproveitando-se de uma tragédia, a oposição desencadeou uma operação desesperada para tentar impedir a nossa vitória. Contra o desespero e a mentira, devemos reagir com firmeza e principalmente com a verdade.

A verdade é que há várias candidaturas no RS e no Brasil, mas apenas dois caminhos nesta eleição: ou o Brasil e o Rio Grande avançam sob as lideranças de Dilma, Tarso, Abgail e Olívio, ou teremos de volta a miséria do neoliberalismo.

Em defesa do futuro do Rio Grande e do Brasil, cabe ao conjunto dos partidos, dirigentes, militantes, filiados, eleitores, simpatizantes, dedicar cada hora e cada dia das próximas quatro semanas a dialogar com o povo gaúcho, a apresentar o que fizemos, o que estamos fazendo e o que faremos.

Nossas direções partidárias devem reunir imediata e conjuntamente e organizar em cada município uma agenda permanente de campanha para os próximos 30 dias com prioridade para a eleição majoritária, promovendo ações de visibilidade para a campanha Dilma, Tarso e Olívio e, fundamentalmente, mutirões nos bairros com visitas de casa em casa e contato direto com o eleitor. Olho no olho e a verdade são nossas balizas fundamentais, assim como a pedagogia do exemplo. Esta agenda deve ser monitorada em sua execução permanentemente através de reuniões diárias ou com a maior regularidade possível pela coordenação coletiva dos partidos, que devem incorporar nossos prefeitos e prefeitas, vices e vereadores e vereadoras em sua coordenação e execução, assim como nossas candidaturas proporcionais. Eventuais divergências táticas locais são absolutamente secundárias neste momento.

Nossos agentes políticos em governos de qualquer nível devem incorporar-se as coordenações e plenária cotidianas da Unidade Popular pelo Rio Grande, instrumentalizando nossa militância com realizações de nossos governos e incorporando-se permanentemente e nos termos da legislação eleitoral, as ações acima propostas.

É importante que cada militante se aproprie dos argumentos em nossos programas de governo, programas eleitorais e espaços oficiais na internet, para travar o debate com propriedade com aqueles que estão em dúvidas ou contaminados pelos argumentos falaciosos da oposição e dos grandes meios de comunicação.

Convidamos, também, a militância dos movimentos sociais e dos partidos políticos, bem como todos os cidadãos e cidadãs sem partido - que defendem a reforma política porque sabem que política se faz com democracia e com partidos políticos, não com messianismos de nenhum tipo - para que nos ajudem neste esforço. Bem como as mulheres que querem manter e ampliar seus direitos; os jovens que desejam viver num ambiente de tolerância e respeito à diversidade; os trabalhadores da ciência, da cultura e o conjunto da intelectualidade, que rejeitam o neoliberalismo e o pensamento único; todas as etnias, especialmente indígenas, negros e negras, que não querem de volta nenhum tipo de preconceito; os trabalhadores que desejam mais empregos, salários e serviços públicos de qualidade; e o conjunto do povo, que deseja avançar com crescimento e desenvolvimento. 

Convocamos a todos e todas para lutar, com a convicção e criatividade próprias do maior patrimônio que temos que é nossa militância consciente, para travarmos, nas ruas, no trabalho, no local de moradia, nas redes sociais e em todas nossas relações sociais e políticas de que dispomos, uma luta sem medo de vencer e em defesa do Brasil e do Rio Grande libertos da agenda neoliberal.

Há momentos na história que são decisivos para o futuro de um país. Estamos num desses momentos. E sob as lideranças de Dilma Rousseff, Tarso Genro e Olívio Dutra, venceremos e continuaremos fazendo de nosso país e de nosso estado, uma terra de fraternidade, liberdade e igualdade. 

Porto Alegre, 02 de setembro de 2014.

PT/RS – PTB/RS – PCdoB/RS – PR/RS – PTC/RS – PROS/RS

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter