Cadastra-se para receber notícias
Denúncia de Bohn Gass se confirma: obras de acessos a municípios pararam no pós-eleição

29/10/2010 02:08

Tamanho da fonte

A obra de asfaltamento na RS 421 no trecho entre os municípios de Boqueirão do Leão e Sério, foi paralisada pelo governo Yeda cerca de uma semana após o primeiro turno da eleição estadual. Foi isto o que garantiu, na última quarta-feira, o prefeito de Boqueirão, João Davi Goergen (PT) ao líder da bancada do PT, deputado Elvino Bohn Gass. "O prefeito não deixou dúvida: ele me disse que da janela de seu gabinete na prefeitura, dá para ver a obra paralisada. Portanto, o DAER está negando uma evidência mas, em se tratando do governo Yeda, negar fatos não é nenhuma novidade" denuncia Bohn Gass.

Segundo o prefeito João Davi, antes da eleição, o governo Yeda chegou a fazer a terraplenagem, colocar uma camada de brita e uma fina camada de asfalto num trecho de 8 km entre Boqueirão do Leão e Sete Léguas. "Mas agora tá tudo parado. As máquinas foram embora e não há um homem sequer no trecho. Só o que tem lá é uns dois montes de brita que, inclusive, estão atrapalhando o tráfego neste momento", garante o prefeito.

Para o líder do PT, o que está acontecendo em Boqueirão é a confirmação das suspeitas apresentadas por ele antes do período eleitoral. "A bancada do PT sempre alertou que o governo tucano estava fazendo obras eleitoreiras, ou seja, vinha começando estradas apenas para tentar reeleger a governadora Yeda. Infelizmente, parece que tínhamos razão," diz Bohn Gass.

As suspeitas sobre a utilização eleitoreira dos R$ 700 milhões oriundos da venda de ações do Banrisul e para os quais o governo Yeda já anunciou três destinados diferentes – primeiro, disse que criaria um fundo previdenciário, depois que pagaria precatórios e, por fim, que construiria acessos asfálticos para os municípios – fez com que Bohn Gass enviasse ao Executivo um pedido de providências ainda no mês de abril deste ano. "O pedido, como muitos outros da bancada do PT, nunca foi respondido pelo governo Yeda. Mas a denúncia da Famurs de que não só em Boqueirão do Leão, mas em vários outros municípios, as obras foram paralisadas depois do primeiro turno, mostram que o povo gaúcho votou bem ao impedir que este governo tenha continuidade," finalizou Bohn Gass.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter