Cadastra-se para receber notícias
Governo deve ter seu próprio texto sobre Código Florestal, diz ministra a Bohn Gass

06/04/2011 11:11

Tamanho da fonte

Governo deve ter seu próprio texto sobre Código Florestal, diz 
ministra a Bohn Gass

Governo deve ter seu próprio texto sobre Código Florestal, diz ministra a Bohn Gass

Izabella Teixeira diz a deputado gaúcho que aceita prorrogar prazo para averbação da reserva legal

O governo federal deve ter o seu próprio texto sobre as modificações a serem feitas no Código Florestal. E, entre outras propostas, deve proceder, de imediato, a prorrogação do prazo para averbação da reserva legal. Este foi o resultado de um encontro ocorrido na tarde desta terça-feira entre a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e o deputado federal gaúcho Elvino Bohn Gass (PT). A ministra informou ao parlamentar que, nesta quarta-feira (6/4), se reunirá com o ministro Chefe da Casa Civil, Antônio Palocci, designado pelo governo para coordenar o tema. "A ministra nos chamou para saber quais eram as prioridades da agricultura familiar no novo Código. Dissemos que as mais urgentes são a prorrogação do prazo para averbação da reserva legal, a junção das áreas de preservação permanente com as de reserva e o pagamento aos agricultores pelos serviços ambientais prestados" relata Bohn Gass que foi ao ministério acompanhado de outros dois deputados federais petistas, Luci Choinaki (PT/SC) e Assis do Couto (PT/PR), todos convidados por Izabella.

Bohn Gass saiu do encontro animado com a disposição do governo federal de interferir propositivamente no debate do novo Código Florestal. Segundo ele, o convite da ministra a três deputados ligados à agricultura familiar e a informação de que o tema será tratado com a Casa Civil são dois sinais muito positivos: primeiro, a nítida intenção do governo federal de não prejudicar a agricultura familiar e, segundo, a decisão de tratar de tema tão relevante a partir do centro do governo.

CONTAG – Bohn Gass já protocolou na Câmara Federal algumas sugestões ao novo Código. "São diretrizes que resultaram do debate que fizemos nas secretarias Agrária e de Meio Ambiente do PT gaúcho." O deputado também apoia o abaixo-assinado que acompanha as várias emendas da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) ao Código e que devem ser entregues na Câmara nas próximas horas. "Atuamos em várias frentes. As propostas da Contag e as do PT gaúcho tem diferenças muito sutis e penso que podem servir de base para uma formatação definitiva do governo que evite prejuízos aos agricultores e ao meio ambiente."

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter