Cadastra-se para receber notícias
BOHN GASS É REELEITO, POR UNANIMIDADE, SECRETÁRIO NACIONAL AGRÁRIO DO PT

30/04/2012 03:27

Tamanho da fonte

BOHN GASS É REELEITO, POR UNANIMIDADE, SECRETÁRIO NACIONAL AGRÁRIO DO PT

Na foto de Richard Casas/PT, Bohn Gass fala aos 144 delegados representantes de 15 estados brasileiros que o reelegeram para o comando da Secretaria Nacional Agrária do PT

            O deputado federal gaúcho Elvino Bohn Gass foi reeleito, neste domingo (29/4), de forma unânime, para o cargo de Secretário Agrário Nacional do Partido dos Trabalhadores. Ele ficará na função até 2014. Este foi o maior encontro da Setorial Agrária do PT que, com Bohn Gass na coordenação desde 2010, saltou de 4,5 mil para 10 mil optantes (quando se filiam, os petistas escolhem em que setorial pretendem militar). Do encontro que começou no sábado (28), participaram 144 delegados de 15 estados brasileiros. O Secretário Agrário tem assento na direção nacional do partido.     A Setorial Agrária petista já contou com militantes ilustres como o José Graziano, atual Coordenador Geral da FAO, braço da ONU  para o combate à fome no mundo.

            "Foram dos debates e estudos desta setorial que nasceram algumas das principais políticas desenvolvidas pelos governos de Lula e Dilma que mudaram o olhar dos brasileiros sobre a agricultura familiar. Hoje, o povo brasileiro não vê mais o colono como sinônimo de homem sem estudos, mas sim como figura responsável pela produção de 70% da comida que o alimenta. É, portanto, um grande orgulho coordenar esta setorial e, mais ainda, ser reeleito por unanimidade para permanecer à frente deste trabalho", diz o deputado gaúcho.

            Segundo Bonh Gass, o encontro da Secretaria Agrária Nacional reforçou o compromisso do PT com as causas rurais e reafirmou a importância das políticas públicas destinadas a quem trabalha no campo para o desenvolvimento do país.

            “É um debate programático, pois nós estamos disputando um modelo agrário rural brasileiro. Para a Secretaria Agrária do PT, o modelo não pode ser escravista, deve combater a monocultura e o latifúndio e não agredir o meio ambiente. Nós queremos que ele seja sustentável, com pessoas produzindo comida de forma tranqüila, para terem paz no campo e para que se faça a Reforma Agrária. Queremos o empoderamento do agricultor familiar, com renda, educação e saúde de qualidade, para que nós tenhamos inclusão produtiva, pesquisa e assistência técnica voltada para esse Brasil rural sustentável”.

 

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter