Cadastra-se para receber notícias
CASSEL, PEPE E ROSSETTO DENUNCIAM O GOLPE NA AGRICULTURA FAMILIAR

28/06/2016 08:05

Tamanho da fonte

CASSEL, PEPE E ROSSETTO DENUNCIAM O GOLPE NA AGRICULTURA FAMILIAR

Três ex-ministros do Desenvolvimento Agrário dos governos de Dilma e Lula estiveram juntos, esta semana, em Porto Alegre. Miguel Rossetto, Guilherme Cassel e Pepe Vargas foram os convidados da audiência pública conjunta da Frente Parlamentar Nacional em Defesa da Previdência Social Rural, presidida pelo deputado federal Elvino Bohn Gass (PT), e da Frente Parlamentar em Defesa da Extensão Rural no RS, presidida pelo deputado Jeferson Fernandes (PT). Na pauta, a extinção do MDA e os reflexos das medidas na agricultura familiar. A audiência aconteceu na Sala Adão Pretto da Assembleia Legislativa na segunda-feira (27).

Os três ministros foram unânimes na denúncia de dois pontos:

- a extinção do ministério retira poder político e, por consequência, recursos, da agricultura familiar;

- a transformação do Desenvolvimento Agrário em secretaria não se deu com vistas a gerar economia aos cofres públicos, mas a atender aspirações da bancada ruralista que, em troca do apoio ao impeachment, estaria, agora, cobrando a conta de Temer.

Cassel: “Como responde muito rapidamente à adoção de políticas públicas adequadas, ao mesmo tempo em que saiu da invisibilidade social, a agricultura familiar aumentou sua produção e passou a atuar com mais força no mercado; e isso os grandes conglomerados de alimentos, a elite do campo, os donos do dinheiro, não suportam”.

Pepe: “A extinção do MDA insere-se num conjunto de medidas que prioriza os grandes setores do capital. Neste sentido, o governo golpista de Temer encaminha a reforma da previdência, reduz direitos dos trabalhadores e desvincula o piso previdenciário do salário mínimo. Dois terços dos aposentados vão ganhar menos do que o mínimo.”

Rossetto: “O conjunto de políticas que desenvolvemos no MDA, construiu uma estratégia de desenvolvimento do universo rural que permitiu, pela primeira vez na história, que o homem e a mulher do campo se apropriassem de uma parte da riqueza do país que sempre lhe foi devida. O reconhecimento social e econômico da agricultura familiar foi interrompido pelo impostor Temer”.

 

MOBILIZAÇÃO CONTRA O GOLPE - Com representantes das principais entidades da agricultura familiar gaúcha (Fetag, Fetraf, Via Campesina, Fetas), movimentos sociais como a Marcha Mundial de Mulheres e técnicos de secretarias e da Emater, a audiência deve resultar em uma participação ainda mais efetiva dos trabalhadores e trabalhadoras rurais nos atos contra o golpe.

 “Temer está pagando a conta do apoio da bancada ruralista ao golpe. E, aqui no RS, quem apoia o golpe, como Sartori, também está deixando em total abandono a agricultura familiar.” - deputado Jeferson Fernandes

“Recuperar a história de conquistas da agricultura familiar é o que cria a energia para derrotar este governo golpista e impostor que, não por acaso, tem apoio do governo gaúcho. Aliás, Sartori está devendo muito ao homem e à mulher do campo.” - deputado Bohn Gass

 

 

 

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter