Cadastra-se para receber notícias
Bohn Gass: “Temer deixou a crise do leite se agravar, agora, compra pública anunciada é insuficiente”

01/12/2017 06:22

Tamanho da fonte

Bohn Gass: “Temer deixou a crise do leite se agravar,   agora, compra pública anunciada é insuficiente”

Os R$ 17 milhões que o governo Temer está disponibilizando para a compra pública de leite, não serão suficientes para estancar a crise de renda que assola os produtores. A opinião é do deputado federal Elvino Bohn Gass (PT/RS). “Por culpa do próprio governo, o anúncio é insuficiente e tardio”. Segundo ele, a crise se agravou de tal modo que, hoje, mais de 30 mil produtores de leite já abandonaram a atividade. “E esses R$ 17 milhões não resolvem nem o problema dos que, corajosamente, continuaram produzindo. Ou seja, a crise do leite continua e o governo, necessariamente, precisará fazer mais”.

Há mais de um ano, Bohn Gass vem alertando o governo Temer de que produtores de leite do Rio Grande do Sul e de outros estados estão perdendo renda por conta do baixo preço pago pela produção. Em 20 de outubro do ano passado, o deputado gaúcho fez a seguinte manifestação na Câmara Federal: “A remuneração dos produtores está caindo. Há uma crise gerada pela falta de regulação na importação de leite estrangeiro e pela falta de compras públicas. O governo precisa agir”.

Passaram-se 13 meses. Nesse período, várias reuniões foram realizadas entre representantes da cadeia leiteira e ministros do governo Temer sem que nada fosse feito. Há cerca de três meses, chegou-se a suspender a compra de leite do Uruguai, mas a importação foi retomada logo depois. Somente no último dia 27 de novembro é que surgiu a primeira medida concreta: o anúncio de R$ 17 milhões para a compra pública de leite.

Para efeito de comparação, entre 2009 e 2015, o governo Dilma disponibilizou R$ 328 milhões para a compra de leite, sendo R$ 202 milhões só para o Rio Grande do Sul. “Antes, havia uma política que funcionava, havia o Ministério do Desenvolvimento Agrário que monitorava as crises e atuava imediatamente. Agora, o governo demora para agir, quando o faz é de forma insuficiente e, ainda, piora as coisas anunciando aumentos consecutivos de combustíveis. Isso influencia diretamente a produção”.

O governo diz que a crise foi gerada pelas regras doo mercado. Bohn Gass rebate: “Um governo precisa ser ágil para atuar regulando a instabilidade do mercado. Eu vou seguir exigindo mais compras públicas. E que o governo pare de aumentar impostos e combustíveis como fazem o Sartori e o Temer, porque isso encarece a produção.”

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter