Cadastra-se para receber notícias
BOHN GASS APROVA INDICAÇÃO DE R$ 290 MILHÕES PARA AÇÕES DE TRABALHO E RENDA NO ORÇAMENTO FEDERAL

10/10/2018 03:36

Tamanho da fonte

BOHN GASS APROVA INDICAÇÃO DE R$ 290 MILHÕES PARA AÇÕES DE TRABALHO E RENDA NO ORÇAMENTO FEDERAL

// Deputado reeleito quer garantir que novo governo invista em emprego

Na reunião da Comissão de Trabalho da Câmara Federal, nesta quarta-feira (10), em Brasília, o deputado Elvino Bohn Gass (PT/RS) conseguiu aprovação unânime para quatro indicações de sua autoria ao Orçamento de 2019:

- R$ 150 milhões para qualificação profissional

- R$ 100 milhões para a economia solidária

- R$ 20 milhões para a fiscalização do trabalho escravo

- R$ 20 milhões para estudos de geração de trabalho e renda pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

“As atenções estão voltadas às eleições, mas a vida aqui no Congresso continua e nós precisamos, ainda este ano, aprovar o Orçamento Federal para 2019. Entendo que a geração de trabalho deve ser uma prioridade de qualquer governante, mas, para isso, é preciso promover estudos sérios e identificar as áreas de maior potencialidade. Por isso a emenda ao Dieese. No caso da economia solidária, já se comprovou a enorme capacidade de gerar renda, com um efeito colateral positivo, a melhoria do índice de desenvolvimento humano de seus empreendedores. Mas ainda não erradicamos o trabalho escravo, por isso, tentei garantir verbas para a fiscalização. Houve compreensão unânime da Comissão de Trabalho para as indicações”, diz Bohn Gass, atual Coordenador do Núcleo do Trabalho da bancada do PT, a maior da Câmara.

O parlamentar acredita que a destinação específica de recursos para temas ligados ao trabalho, é uma forma de garantir que o novo governo terá ações concretas nessa área, independente de quem seja eleito.

“Tenho como prioridade a revogação da reforma trabalhista de Temer. Entendo que as mudanças conduzem à precarização do trabalho e não creio que se possa gerar mais empregos tornando ainda mais desigual a relação entre empregados e patrões. A Comissão de Trabalho da Câmara tem um papel importantíssimo, porque pode ajudar a reequilibrar essas forças”, afirma o parlamentar gaúcho que acaba de ser reeleito para o terceiro mandato federal com 102.924 votos.

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter