Cadastra-se para receber notícias
Posse de Bohn Gass “Meu mandato será de luta pela soberania, pelo direito de quem trabalha e por comida limpa”

01/02/2019 04:36

Tamanho da fonte

Posse de Bohn Gass “Meu mandato será de luta pela soberania, pelo direito de quem trabalha e por comida limpa”

//Brasília - 1º/2/2019 - Tudo o que garantir melhoria na qualidade de vida das pessoas, especialmente as mais pobres, ampliar a segurança alimentar e o acesso à saúde e à educação públicas, terá o voto do deputado Elvino Bohn Gass (PT/RS). Mas nenhum projeto que ataque a soberania popular, o patrimônio público ou os direitos de quem trabalha, receberá apoio do parlamentar gaúcho que, nesta sexta-feira (31), tomou posse para o seu sexto mandato consecutivo, sendo este o terceiro como deputado federal.

“Quando tomamos posse, nós, deputados, fazemos um juramento de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis e promover o bem geral do povo brasileiro. Por isso, meu papel é trabalhar pela dignidade de todas as pessoas, garantindo alimento, moradia, trabalho, saúde e educação. Na segunda parte do juramento, no comprometemos a sustentar a integridade e a independência do Brasil, o que significa manter a soberania, dando ao povo o direito de tomar as decisões e impedindo que a Nação seja expropriada, vendida ou explorada”.

A cerimônia que deu posse a Bohn Gass e a outros 512 deputados teve início às 10h no Plenário Ulysses Guimarães, na Câmara Federal, em Brasília. A sessão foi interrompida por volta do meio-dia e, à tarde, os deputados voltaram para eleger o novo presidente da Casa. O PT formou um bloco de oposição com o PSOL, a Rede e o PSB. Juntos, esses partidos somam 98 deputados. Bohn Gass nutre a esperança de ter, também, o PCdoB nesse bloco que, assim, passaria a conta com 108 votos.

“Há coisas muito importantes em jogo nessa legislatura. Precisamos recuperar os direitos roubados na reforma trabalhista de Temer, que teve o apoio de Jair Bolsonaro, e impedir que a reforma da Previdência obrigue as pessoas a trabalharem até morrer. Além do mais, na política econômica, a ordem é liquidar o patrimônio público e, no campo dos direitos civis, a lógica deles é a do atraso. A velha política está no poder. Vamos lutar muito contra tudo isso, mas o povo deve saber que quem manda no Brasil, neste momento histórico, são os mesmos que sempre roubaram direitos dos trabalhadores e garantiram que os ricos ficassem cada vez mais ricos”, diz Bohn Gass.

 

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter