Cadastra-se para receber notícias
Bohn Gass: trabalho formal na construção civil cresce 95% em oito anos

20/07/2012 06:48

Tamanho da fonte

Bohn Gass: trabalho formal na construção civil cresce 95% em oito anos

Apesar da crise econômica mundial, o mercado da construção civil no Brasil continua aquecido. O número de trabalhadores com carteira assinada cresceu 95,2% entre 2003 e 2011. No mesmo período, na média dos demais setores, a população ocupada com carteira cresceu muito menos – 48,2%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o IBGE, 1,8 milhão de pessoas trabalham na construção civil nas seis regiões metropolitanas englobadas pela Pesquisa Mensal de Emprego. Foram criadas cerca de 325 mil vagas no setor desde 2003, preenchidas em sua totalidade pelos novos 337 mil formalizados.

O aumento de emprego com carteira assinada na construção civil deve-se às novas oportunidades de trabalho nos governos Lula e Dilma com a implementação de programas como o “Minha Casa, Minha Vida”, que vai atender dois milhões de famílias até 2014. A construção civil é estratégica para o governo. Além de gerar empregos, aquece a economia brasileira. O governo do PT reduziu o IPI, de 5% para 8,5%, para cerca de 30 materiais de construção em 2009, por ocasião da crise internacional de 2008.

Na avaliação do deputado Bohn Gass (PT- RS), membro da Comissão de Trabalho, da Administração e Serviço Público da Câmara Federal, , as políticas públicas do governo e o aumento de crédito têm estimulado a construção civil. “O Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e o ‘Minha Casa, Minha Vida’ têm aquecido o setor, com a geração de empregos e a capacitação dos trabalhadores”. Ele citou ainda a aprovação, na última segunda-feira (16), na Câmara, da medida provisória (MP 564/12) que trata do Plano Brasil Maior e estimula a economia brasileira, ao conceder isenção tributária a produtos, estabelecer regimes fiscais diferenciados e desonerar a folha de pagamentos de alguns setores. A proposta segue agora para votação no Senado.

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, a geração líquida de vagas na construção civil aumentou 30,4%, de janeiro a maio deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo o Ministério, o saldo é de 192, 9 mil trabalhadores formais incorporados ao setor nos primeiros cinco meses de 2012.

Ivana Figueiredo com agência

Compartilhe:

  • Facebook
  • Share on Twitter