O Líder da Bancada do PT na Câmara, deputado Elvino Bohn Gass (RS), acusou nesta quinta-feira (16) o governo Bolsonaro de colaborar com os sucessivos crimes ambientais praticados no País. Durante pronunciamento no plenário da Câmara, o parlamentar ressaltou que um dos maiores exemplos dessa cumplicidade é revelação pela imprensa de um relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) apontando a paralisação do processo de aplicação de multas no País por 8 meses em 2020 (entre abril e dezembro).

Segundo reportagem da TV Globo, a CGU relatou que a paralisação foi motivada por uma interrupção da prestação de serviços na área de tecnologia do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O órgão fiscalizador apontou ainda que no mesmo período a autarquia deixou de apurar algumas infrações e suas possíveis conversões em serviços ambientais por falta de ferramenta funcional disponível aos fiscais federais em campo.

De acordo com a denúncia, a Controladoria afirmou que a interrupção desses serviços ocorreu por conta de uma decisão do então diretor de planejamento, administração e logística (Diplan) do Ibama, o tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo, Luis Carlos Hiromi Nagao – exonerado do cargo somente em 16 de agosto deste ano. A reportagem afirma ainda que o relatório da CGU aponta que o então diretor reduziu o prazo de um contrato de prestação de serviços na área de tecnologia relacionado ao desenvolvimento de sistemas “mobile”, considerados “imprescindíveis e essenciais ao instituto”.

Para o líder do PT é um absurdo que, enquanto o mundo inteiro esteja preocupado com o desmatamento, com as queimadas e com a agressão ambiental no Brasil, o governo colabore com a destruição do meio ambiente.

“O governo Bolsonaro não só não combate o desmatamento, não combate a agressão ambiental, mas é gerador do desmatamento, é gerador das queimadas. Ele colabora porque ao paralisar a aplicação das multas dá um atestado de autorização para as agressões ambientais. Portanto, o governo colabora com o crime ambiental deste País! Isso é a destruição do meio ambiente”, apontou.

O petista lembrou ainda durante seu pronunciamento que a política ambiental do Brasil precisa mudar para o País voltar a ser referência de sustentabilidade no mundo, como já ocorreu durante os governos petistas de Lula e Dilma. Ele alertou ainda que a continuidade do desprezo do atual governo em relação à preservação do meio ambiente pode trazer graves consequências econômicas para o País.

“O mundo não vai mais querer comprar produtos de um país que agride o meio ambiente”, afirmou.

Héber Carvalho – PT na Câmara

Compartilhe

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.