A Bancada do PT na Câmara repudia o comportamento antidemocrático do gerente-geral da Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, por perseguir trabalhadores da empresa que lutam contra a criminosa privatização do ativo estratégico pertencente à Petrobras.

Num momento em que os partidos de oposição, centrais sindicais e o próprio Tribunal de Contas da União denunciam irregularidades e o ataque a interesses nacionais com a venda da RLAM e de todos os seus ativos logísticos para o fundo de investimentos estrangeiro Mubadala Capital, o gerente -geral Grey de Campos Zonzini age autoritariamente para coagir os trabalhadores a se calarem diante da danosa e obscura privatização.

Os deputados e deputadas da Bancada do PT se solidarizam com o coordenador da Federação Única dos Petroleiros, Deyvid Bacelar, diante da decisão de Zonzini de aplicar contra ele medida disciplinar de suspensão por 29 dias, em razão da atuação do sindicalista em defesa do patrimônio público brasileiro. O preposto da diretoria da Petrobras age de maneira ditatorial e contra a liberdade sindical.

A Bancada do PT na Câmara reafirma que a venda da refinaria é um crime de lesa-pátria, tanto por seu valor irrisório – metade do avaliado pela própria Petrobras – como pelas implicações no próprio mercado. A venda assegura a instalação de um monopólio privado na produção regional de combustíveis e GLP, afetando sobretudo a população do Nordeste, a qual já sofre com os constantes aumentos de preço da gasolina, diesel e gás de cozinha.

A privatização da refinaria estratégica para os interesses nacionais é mais um ato criminoso cometido pelo governo Jair Bolsonaro contra o país, num momento em que a população enfrenta a mais mortal crise sanitária da história.

Brasília, 6 de abril de 2021

Elvino Bohn Gass (PT-RS), líder da Bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados

Compartilhe

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *