O deputado Elvino Bohn Gass (PT-RS) é o proponente da Comissão Geral que acontece nesta terça-feira (3), na Câmara dos Deputados, em homenagem ao dia 1º de Maio, para produzir um diagnóstico aprofundado da realidade da massa assalariada brasileira e, mais do que isso, aponte caminhos visando a superação do desemprego. Por isso, Bohn Gass apresentou requerimento para transformar a sessão plenária do dia 3 de maio em Comissão Geral, figura legislativa que dedica sessões inteiras ao aprofundamento de grandes temas do país. A comissão se inicia às 9h.

“Vivemos um assombroso cenário de desemprego, informalidade, desalento, subutilização, desproteção social, adoecimento e acidentes no ambiente laboral. A Câmara precisa reconhecer essa realidade trágica e, além das tradicionais homenagens ao Dia do Trabalho, apresentar soluções para a massa trabalhadora brasileira”, diz Bohn Gass, titular da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Casa.

Ele avalia que as muitas formas de precarização nas relações de trabalho atuais, o fechamento de micro e pequenas empresas e fenômenos como a desindustrialização, precisam entrar na Ordem do Dia do Congresso. “Isso tudo impacta o povo trabalhador, gera perda de renda e empobrece o Brasil. A Câmara não pode fechar os olhos, tem o dever de apresentar medidas e ações que enfrentem esses problemas”, diz o petista.

Agir contra o desemprego

Os números oficiais, segundo Bohn Gass, revelam a gravidade do momento: 14,8 milhões de pessoas desocupadas, 10,1 milhões fora da força de trabalho potencial (podiam estar trabalhando, mas não estão), 5,5 milhões de desalentados, 7,6 milhões de subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas. “Quando se vê quase duas dezenas de milhões de pessoas sem contribuir para a Previdência, o que se tem é uma tragédia anunciada. É preciso agir contra o desemprego, o subemprego, a precarização. Porque o resultado disso é mais fome e mais insegurança, ou seja, um colapso social.”

Compartilhe

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.